Processo Produtivo

O processo de produção de cal consiste em calcinar os carbonatos de cálcio ou de cálcio e magnésio a temperaturas entre os 900ºC e os 1100ºC, libertando dióxido de carbono e obtendo o óxido de cálcio ou o óxido de cálcio e magnésio.
O óxido de cálcio (cal viva ) e o óxido de cálcio e magnésio (cal dolomítica) são moídos e seleccionados antes de serem armazenados para posteriormente venda.
De uma forma geral o processo de produção de cal engloba os seguintes passos:

 

  • Preparação dos carbonatos de cálcio (calcário) ou de cálcio e magnésio (calcário dolomítico);
  • Recepção e armazenamento de combustíveis;
  • Calcinação do calcário ou do calcário dolomítico;
  • Moagem e crivagem;
  • Armazenamento em silos.

Recepção de Matérias-primas

A Microlime utiliza duas matérias-primas:
  • Calcário
  • Calcário Dolomítico
Estas matérias-primas são recepcionadas diariamente sendo os camiões descarregados directamente numa tremonha de recepção que tem capacidade para receber 50 toneladas de matéria-prima.
Dessa tremonha a matéria-prima é transferida para o silo de calcário, com capacidade para 300 toneladas, através de um sistema de elevação por skip.
O stock máximo de matéria-prima é determinado pela capacidade do silo e da tremonha

Recepção de Combustível

A Microlime utiliza combustível sólido com uma granulometria de 30 a 60 mm. Podem ser utilizados vários tipos de combustível sólido, nomeadamente coque de petróleo, antracite, coque metalúrgico etc.
O combustível sólido é recepcionado entre três e quatro vezes por semana sendo parte, descarregado numa tremonha de recepção com capacidade para 25 toneladas e a outra parte armazenada.

Produção de Cal

O calcário ( ou o calcário dolomítico) é descarregado por uma calha vibratória do silo de calcário para o skip do forno.
Simultaneamente é doseado o coque que é descarregado na mesma calha vibratória de modo a conseguir-se uma distribuição o mais uniforme possível do coque sobre o calcário.
O skip é então elevado até à parte superior do forno sendo descarregado na tremonha de enchimento do forno.
Essa tremonha, que dispõe de um sistema de dupla obturação de modo a evitar que haja saída de gases do forno durante o carregamento, é então esvaziada para o interior do forno.
À medida que a carga (calcário e coque) vai descendo no interior do forno vai aquecendo por trocas térmicas com os gases quentes resultantes da combustão do coque os quais são extraídos pela parte superior do forno.
A partir de determinado nível o coque atinge a temperatura necessária e entra em combustão dando início ao processo de calcinação do calcário.
Este processo é expresso pelas seguintes equações:
CaCO3 + Calor ⇒ CaO + CO2
ou
CaCO3.MgCO3 + Calor ⇒ CaO.MgO + 2CO2

 

conforme se trate da calcinação do calcário ou do calcário dolomítico, respectivamente.
Após todo o coque ter sido consumido na combustão está terminado o processo de calcinação estando todo o calcário (carbonato de cálcio) transformado em cal viva (óxido de cálcio) ou todo o calcário dolomítico (carbonato de cálcio e magnésio) transformado em cal dolomítica (óxido de cálcio e magnésio).
Inicia-se então a fase de arrefecimento na qual a cal quente é arrefecida por trocas térmicas com o ar frio insuflado pela parte inferior do forno.
Esta fase permite aquecer o ar tornando-o termicamente mais eficiente na fase de calcinação e arrefecer a cal possibilitando a sua retirada do forno à temperatura ambiente.
A cal arrefecida é extraída do forno por meio de quatro mesas vibratórias sendo armazenada num silo situado por baixo do forno.

Moagem, crivagem e armazenamento

De oito em oito horas a cal é retirada do silo do forno, passa por um moinho de rolos e por um crivo e é ensilada de acordo com a sua granulometria estando, assim, preparada para ser expedida.
A Microlime dispõe de sete silos de produto acabado com capacidade para armazenar 500 toneladas e um silo de reserva para produto intermédio (cal não crivada) com 150 toneladas de capacidade , o qual só é utilizado em caso de necessidade.

Expedição

A expedição faz-se carregando os camiões directamente dos silos de produto acabado de acordo com a granulometria exigida pelo cliente.
Na página seguinte encontra-se um diagrama descritivo das actividades desenvolvidas na instalação.